A criança é a expressão viva do amor de Deus. Amor sem cobrança, sem barganha, sem interesse. Amor que tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo tolera (1 Corintios 13:7)
A criança ama quem a corrige; corre para o colo do pai ou da mãe que acabou de lhe dar uma bronca porque é ali que encontra conforto e confiança.
Amor de criança não tem remorso, não tem rancor.
A única coisa que pode corromper a pureza deste amor é a perversidade do adulto.
Não é preciso amaldiçoar uma criança com palavras torpes para ensiná-la ou corrigi-la. A violência física nunca será um método eficaz na formação do caráter e da personalidade de uma criança.
O amor é o único caminho.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

VEM, ESTÁ CHEGANDO O NATAL

Culto de Natal na Comunidade Apostólica Livre (CAL). João foi um dos anjinhos da "Festa no Céu"


quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

NÃO PRECISA, MAMÃE

– Filho, o Natal está chegando e a mamãe quer dar algum presentinho para você, só que a mamãe está com pouco din din, então, tem que ser algo não muito caro. O que você gostaria de ganhar?

– Não quero nada não, mamãe. Eu já tenho muita coisa!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

NEM GRANDE, NEM PEQUENO


João foi com a tia Vivi fazer compras no sacolão, lugar que ele adora, principalmente por causa do pastel de queijo. Na volta, com a sacola meio pesada, a tia Vivi lhe disse: "Ah, tomara que você cresça logo para poder me ajudar a carregar a sacola de compras". Considerando-se apto para a tarefa, ele respondeu: "Mas eu não sou pequeno!". Ela, então, tratou de se explicar melhor: "Sim, você não é mais tão pequeno como quando era um bebê, mas para carregar um peso desses você ainda é pequeno." A resposta não convenceu muito, então ele tratou logo de esclarecer: "Eu sou médio."

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

BICHO COM H


João está terminando o Jardim da Infância e, durante o ano de 2010, aprendeu todo o abedecedário, escreve algumas palavrinhas e o nome dele. Já vai chegar afiadinho no Pré-Primário, seu próximo passo na vida escolar que o aguarda em 2011. Outro dia, numa brincadeira de sílabas inciais com a mamãe, João perguntava: "Que bicho começa com GA?", e às vezes ele mesmo respondia: "Gato"... "e com CA?" "Cavalo"...e assim por diante, até a hora que ele perguntou: "Mamãe, que bicho começa com H?" Sem ter certeza se aquela era a resposta que ele esperava, mamãe arriscou: "Hiena?" E ele corrigiu em seguida: "Não, A GAlinha!"

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

MAMÃE PÁSSARO

O melhor nem é voltar a fazer o que se ama, nem reencontrar amigos tão queridos a quem não vemos há tanto tempo. O melhor é ouvir isso do filho, enquanto me preparava para decolar: "Papai, deixa eu ir lá porque a mamãe precisa da minha ajuda." Vai sim, meu filho; vai sempre porque sem a sua ajuda a mamãe não consegue mesmo.

sábado, 6 de novembro de 2010

PROGRAMANDO O REVEILLON


Sexta-feira, fim do dia, mamãe e papai batiam papo na sala, em frente à televisão. João, talvez achando que aquilo era um tempo desperdiçado, resolveu puxar um assunto mais prático, sugerindo uma programação para o próximo Reveillon. Abraçando o papai, de forma esmagadora, perguntou: "E aí, qual vai ser a balada de fim de ano?"

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Marmita

João, mamãe, papai e vovó foram convidados para comer um bolinho na casa da vizinha Terezinha - praticamente da família -, pelo aniversário dela, que é sempre comemorado porque ela é muito festeira. A reunião era pequena, mas calorosa, pois ali estavam os amigos e parentes mais chegados. João se esbaldou nas brincadeiras com a Mariza, irmã da aniversariante, que tem o dom de se transformar em criança sempre que está ao lado de uma, e também se deliciou com as coxinhas que ele comeu aos montes, pois é seu salgadinho preferido. Em um dos momentos  em que a Mariza entrou na cozinha, João foi atrás e, querendo garantir o prazer de saborear as coxinhas no dia seguinte, não teve dúvidas e falou: "Eu gostaria de levar uns salgadinhos para a minha casa." O pedido foi prontamente atendido e para total desespero da mamãe, lá saiu ele, todo pomposo, da cozinha com seu tuppeware na mão, anunciando a conquista a todos: "A Mariza fez uma marmita de coxinha pra mim!"

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

O FILHO DA VELHA

Mamãe fez aniversário no dia 8 de outubro. Percebendo a movimentação de telefonemas para parabenizá-la, amigos reunidos em uma pizzaria para comemorar e até mesmo um almoço oferecido pela vovó, também com direito a bolo e vela, João logo quis saber: "Mamãe, quantos anos você fez?" E a mamãe respondeu: "43". Num tom de espanto claramente expresso no olhos arregalados, ele logo exclamou: "Nossa, mamãe, você é muito velha!"

sábado, 18 de setembro de 2010

Festa da Família

E, enfim, chegou o dia de cantar Roberto Carlos: "Eu quero ter um milhão de amigos..."



domingo, 29 de agosto de 2010

Aquela do Roberto


Mamãe chegou do trabalho e, como de costume, foi logo ver se havia algum recadinho da professora na agenda escolar de João. Um bilhetinho avisava sobre a "Festa da Família", que aconteceria dali a alguns dias e na qual as crianças fariam uma apresentação. Mamãe logo quis saber: "Filho, vocês estão ensaiando outra dancinha? que música é?" Sem titubear, ele respondeu: "Estamos sim. É aquela música do Roberto Carlos" Mamãe achou que ele estava inventando, já que ele tem costume de achar que todas as músicas são do "Rei", talvez de tanto que a vovó coloca os Cds dele. Então, mamãe tentou investigar: "Qual música do Roberto? Ele tem muitas" Depois de dar todas as dicas óbvias possíveis e João dizer que não era nenhuma daquelas que a mamãe havia mencionado, ela praticamente teve certeza de que ele realmente estava inventando. Mais tarde, quando mamãe estava tentando fazê-lo dormir, ele teve um estalo: "Mamãe! Lembrei a música da festa." Curiosa, ela logo disse: "Que bom, filho, e qual é?" Feliz da vida, ele explicou cantarolando: "É aquela que fala assim: 'Eu só não quero ficar sozinho, eu quero um coro de passarinhos...' A mamãe não se aguentou e berrou: "É do Roberto mesmo!" E logo os dois emendaram um coro de braços levantados: "Quero levar o meu canto amigo a qualquer amigo que precisar. Eu quero ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar"

\o/ \o/ \o/\o/ \o/ \o/\o/ \o/ \o/\o/ \o/ \o/\o/ \o/ \o/\o/ \o/ \o/\o/ \o/ \o/\o/ \o/ \o/\o/ \o/ \o/\o/ \o/ \o/\o/ \o/ \o/

E se o céu se abrir?


João estava conversando com a mamãe sobre pessoas da família quando, em determinado momento, perguntou a ela: "Onde está o seu pai?" A mamãe lhe respondeu que o pai dela, vovô de João, mora. lá no céu, junto com Jesus. Reflexivo, ele pensou em voz alta: "Ah, é... mora no céu com Jesus..." E logo emendou outra pergunta: "Mamãe, como é que eles fazem para ficar lá no céu?" Sem saber muito como, mas tendo que dar alguma resposta, mamãe tentou explicar: "Filho, é que Jesus é Deus. Ele fica em todos os lugares, mas a casa Dele é lá no céu; e quando as pessoas morrem, elas vão para lá e ficam com Ele. Encafifado e não conformado, dada a mínima noção de leis da física que ele já tem, João não resistiu e questionou: "Mas, mamãe, e se rasgar o azul do céu?"

sexta-feira, 28 de maio de 2010

SHOW DO CEBOLINHA


Os papais de João têm uma amiga que é cantora - das boas - que se chama Letycia. Ela gravou um Cd e fez o show de lançamento no Sesc Ipiranga, em São Paulo. E lá se foram papai, mamãe e João para prestigiar a apresentação. O show teve como convidado especial, o cantor Wilson Simoninha, que tornou o show ainda mais animado do que já estava. Por causa de uma confusão da produção, Letycia precisou pedir ao papai de João que desse uma carona para o Simoninha para ir e voltar do teatro. Na saída, o papai foi buscar o carro e mamãe ficou no saguão, com o João, esperando o artista. João, já meio cansado, falou: "Vamos embora, mamãe." Ela explicou que tinham que aguardar: "Vamos já; é que o Simoninha vai conosco. Temos que esperar ele sair." A contestação veio: "Quem vai com a gente, mamãe?" Um sorriso e a reposta: "O Simoninha. Aquele moço que cantou com a Letycia". E ali, com o saguão cheio de fãs do rapaz, que o esperavam para tirar fotos, João indagou em alto e bom som: "Por que é que o Cebolinha vai com a gente, mamãe?"

terça-feira, 11 de maio de 2010

PRESÉPIO

Apesar de estarmos no meio do ano, o Natal é tema constante nas brincadeiras de João. Dia desses, quando a mamãe e o papai foram buscá-lo na casa da vovó, ele tratou logo de sugerir o que iriam fazer: "Vamos brincar de presépio?" A mamãe achou interessante e quis saber os detalhes: "Como vai ser essa brincadeira?" João explicou: "Você é a Maria, o papai é o José e eu sou o Jesus!" Então, a mamãe perguntou: "E a vovó?" Querendo incluí-la no divertido jogo. A resposta foi certeira: "A vovó é a jumentona!"

domingo, 9 de maio de 2010

quinta-feira, 8 de abril de 2010

BICHO PAPÃO


Dizem que é normal crianças terem pesadelos, principalmente na idade do João. Os psicólogos chamam isso de "terror noturno". É até compreensível se pensarmos que a imaginação das crianças, já tão fértil quando elas estão acordadas, deve mesmo ganhar proporções incontroláveis quando elas estão dormindo e sonhando. João tem tido pesadelos. Acorda gritando assustado e com o coração na garganta. Algumas vezes, a razão é facilmente identificada, como outro dia que ele acordou aos berros, fugindo do dinossauro vermelho da Era do Gelo 3. Ele havia assistido o filme (pela milionésima vez) antes de dormir. Certa madrugada, o grito de horror dele foi assustador. A mamãe, que quase grudou no teto de susto, se apressou em acalmá-lo, com aquela conversinha mole de: "Fica, tranquilo, mamãe está aqui" (grande coisa!). Ele, obviamente percebendo que aquela proteção talvez não fosse suficiente, se apressou em alertar para o tamanho do perigo: "Mamãe, a gente não vai conseguir matar aquilo!"

quinta-feira, 1 de abril de 2010

APAGAR VELHINHAS


Tia Vivi, que mora no interior, estava passando uns dias em São Paulo, paparicando o João. Nesse período, foi aniversário dela, então, a vovó teve a ideia de fazer um lanche da tarde, convidando as amigas da tia Vivi, mais como desculpa para fazer um bolo e agradar ao neto, que não consebe um aniversário sem cantar "Parabéns"! A tia Cota, que estava no interior, telefonou para saber como estava sendo a reunião e perguntou ao João: "Afinal, vai ter bolo nesse aniversário?" Ao que ele monossilabou: "Ahã!" E ela quis saber mais: "E tem velinha?" E ele: "Não, só velha mesmo!"

quarta-feira, 3 de março de 2010

FUTEBOL COM VÁRIAS BOLAS

A Seleção Brasileira de futebol fazia um jogo amistoso com a Seleção Irlandesa e João brincava na sala da casa da vovó, fazendo arte (no sentido artístico da palavra) com uma aquarela de guache que ganhou de aniversário. A tia Vivi, que adora esportes, logo tentou dirigir a atenção do sobrinho para o que estava acontencendo na televisão: "Olha, João, é o jogo do Brasil!" Sem dar muita importância, e bem mais envolvido com a pintura no papel, João olhou e perguntou: "Qual é o Brasil?" "É o time com a camiseta amarela", esclareceu a tia. Prestando mais atenção e colocando seu senso de organização para trabalhar, ele logo viu que havia algo errado: "Nossa, mas só tem uma bola? É muita gente, precisa de mais bolas!"
Um brasileiro nato...

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

DESLOCAMENTO DE AR

Os avós de João (pais do papai) vieram da Argentina para passar uns dias com a família no Brasil. Com isso, João cedeu seu quartinho para eles e está dormindo num colchão inflável no quarto do papai e da mamãe, coisa que ele adooooora. Mamãe foi arrumar o colchão para ele dormir, e o serelepe começou a pular, como se estivesse em uma cama elástica. Como a porta do quarto estava fechada, a cada pulo que ele dava, janela trepidava e fazia um barulho forte. Mamãe, então, alertou: "Para com isso. Olha só, vai acabar quebrando o vidro. Você não está ouvindo o barulhão?" Espantado, João perguntou: "Do que é esse barulho, mamãe?" A reposta, pseudo-científica, veio em seguida: "É por causa do deslocamento de ar." Obviamente, outra pergunta espocou no ar: "O que é deslocamento de ar?" Tentando, sem sucesso, explicar de forma didaticamente fácil, mamãe passou a bola: "Fica tranquilo que quando você crescer mais um pouco, vai aprender isso na sua escola." Encostado na cama, apoiado nos cotovelos, com um olhar de certo desdém desconfiado, João deu de ombros: "Na minha escola não tem cama!"

sábado, 13 de fevereiro de 2010

VESTIDO NOVO PARA A VOVÓ

O aniversário de João está chegando. Ele vai completar 4 anos e a euforia pela espera do dia da festa já começou um mês antes. Primeiro, ele escolheu o tema "Arca de Noé", depois começou a fazer a lista de convidados e determinar cada detalhe. Por fim, quando não havia mais nada a organizar sobre a festa, João achou melhor garantir o visual dos convidados. Sendo assim, ele prometeu para a vovó: "Eu vou comprar um vestido novo para você ir no meu aniversário." Muito feliz com a oferta, a vovó agradeceu e quando a mamãe chegou do trabalho, ela lhe contou sobre o presente prometido. A mamãe, então, quis saber do João: "Com que dinheiro você vai comprar o vestido para a vovó?" Ao que ele respondeu em tom de obviedade: "Com o meu." E esclareceu: "Mas, vou comprar com um dinheiro só, que é prá não gastar!"

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

O PIANO

João se deitou na cama da mamãe e, juntos, assistiam ao programa "Ensaio", da TV Cultura, que apresentava Milton Nascimento e sua impecável banda. Em dado momento, o virtuoso pianista Kiko Continentino presenteou os telespectadores com um delicado e rebuscado solo. Mamãe suspirou: "Ah, o piano é um instrumento lindo, não é, filho?" Embevecido com aquele som, João concordou e surpreendeu a mamãe com uma análise profunda: "É sim. O piano é solidão!" Com os olhos arregalados, mamãe indagou: "E você sabe o que é solidão, meu amor?" A resposta calou a possibilidade de outras perguntas: "Aham, sei sim..." E ambos, em silêncio, voltaram a atenção para Milton, que agora cantava "Travessia": "forte eu sou, mas não tem jeito, hoje eu tenho que chorar..."

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

LÁ VEM O SONO

Os avós de João (pais do papai) vieram da Argentina para passar uns dias com a família aqui no Brasil. Eles estão dormindo no quarto de João e, por isso, o menino está no quarto do papai e da mamãe, o que, diga-se de passagem, ele adooooora. Era hora de dormir, mas João estava bem serelepe. Então, papai desligou a televisão e o quarto ficou todo escuro. Normalmente, isso já faz o João ficar mais sossegado, mas ele quis saber: "Papai, por que você desligou a tevê?" Calmamente, o papai respondeu: "Fica quietinho que o sono vem." Resolvendo experimentar a sugestão, João permaneceu em silêncio por uns 5 minutos, com o quarto todo escuro. De repente, ele viu que a ideia começou a funcionar e, entusiasmado, anunciou em alto e bom som, rompendo o silêncio do ambiente: "Papaaaaaaai, ele está vindo!" Referindo-se ao amigo sono que se aproximava e que, por sorte, não se afastou apesar da barulhenta manifestação.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

BALADEIRO

A vovó de João foi convidada para a festa de aniversário de uma grande amiga dela. A filha desta senhora organizou a comemoração dos 75 anos da mãe em um bom hotel de São Paulo, oferecendo um jantar dançante. O convite à vovó de João se estendeu à mamãe, papai e a ele, claro. Animadíssimos, João e mamãe já começaram a comentar sobre a tal "baladinha" alguns dias antes. No dia da festa – um sábado á noite – depois da soneca da tarde, João e mamãe tomaram banho e começaram a se arrumar. O papai, que é meio tímido e não muito dado a festas nem de quem ele conhece, muito menos de desconhecidos, preferiu declinar e ficar sossegado em casa. Quando a mamãe estava se maquiando, João perguntou: "Por que o papai não vai na festa?" E a mamãe explicou: "Ah, filho, o papai é caseiro; ele não é muito festeiro." Com o olhar meio vago, caído para o lado, como quem procura algo dentro de si mesmo, o menino teve provavelmente uma das primeiras experiências de auto-análise de sua vida, e conclui acertivo: "Eu sou festeiro. Você e minha vovó também." E lá foram os três para a balada, onde João se jogou na pista de dança com a mamãe até quase 1h da manhã!

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

VOVÓ DOIDA


Os avós de João (pais do papai) vieram da Argentina para visitar a família. João já os conhecia e, desde a primeira vez que eles vieram, o garoto já havia se apaixonado pela vovó Beatriz. Com sua doçura e paciência, ela faz um cafuné delicioso na cabeça de João, além de dar muita trela para as brincadeiras dele, achando lindo tudo que ele inventa. E, apesar de ela não falar uma palavra em português, os dois se entendem muito bem. Curiosa, a outra vovó (mãe da mamãe), que fica com ele durante o dia, lhe perguntou: "E aí, você está se divertindo com a vovó Beatriz? Gostou de ela ter vindo te visitar?" A resposta veio seguida de pontual observação: "Aham...só que ela é meio adoidada. Ela fala tudo errado!"

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

O GAROTO DO BIGODE


João tinha pouco mais de 2 anos de idade quando, um dia, mamãe foi buscá-lo na escola, já que era um dia de folga do trabalho dela. Ele ficou todo feliz e serelepe quando viu a mamãe o esperando na porta da sala. Correu e pulou no colo dela, dando um aperto bem abraçado. Então, mamãe sentiu um perfume diferente nele, e disse: "Que cheiro gostoso, filho. A professora passou perfume em você?" Ao que ele, assentindo, respondeu: "Aham, passou sim, aqui no meu bigode."

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

VINÍCIUS, O ATACANTE DO CORÍNTHIANS


A compreensão ou melhor persepção deste post está diretamente ligada ao post anterior. é melhor lê-lo antes. No fim de semana de início do Campeonato Paulista de Futebol 2010, João brincava na sala enquanto papai e mamãe assistiam os melhores momentos dos jogos na tevê. Foi quando o repórter apresentou um gol do Corínthians: "... gol do estreante... Iarley!" E mamãe, que não entende muito do assunto, logo emendou: "Pensei que ele fosse dizer: 'Gol do estreante Roberto Carlos' ", referindo-se à recente contratação do brasileiro, ex-lateral esquerdo do Fenerbahce, da Turquia. Então, João achou importante dar sua opinião: "Pensei que ele fosse dizer: 'Gol do Vinícius de Moraes.' "

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

O REI NUNCA PERDE A MAJESTADE


Todas as noites, a mamãe se deita na cama do João até que ele pegue no sono. Esses momentos são cheios de brincadeiras, risadas, carinhos e muita grudação. Às vezes, João pede à mamãe que lhe conte uma história – que pode ser inventada ou das que já existem – e, às vezes, ele pede que ela cante uma música. Foi o que aconteceu outro dia. Então, a mamãe, muito espertinha, aproveitando o momento para contribuir com uma formação musical de qualidade, perguntou: "Você quer que eu cante uma música do Tom Jobim, do Chico Buarque ou do Vinícius de Moraes?" Ele não teve dúvida e decidiu logo: "Quero uma do Roberto Carlos"... o rei é o rei, não é?

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

ENTENDENDO A GENÉTICA


Mamãe foi dar banho no João, aventura que se assemelha a tentar impedir que um polvo pegue algo. O menino, todo serelepe, parecia estar ligado em alta voltagem, e começou a cantar, pular, dançar, tudo isso enquanto tentava usar a esponja para lavar a porta do box. Foi quando a mamãe perguntou: "Menino, por que você é tão maluco?" E teve que ouvir a resposta: "Porque você é maluca. E você é minha mãe, então, eu sou maluco também!" E continuou a cantoria, depois dessa breve explanação sobre as consequências da genética.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

O BONECO JOÃO


Fim de ano... a criança enche a cara de refrigerante e suco...é nisso que dá.
A criação do personagem é de autoria do próprio João. O registro ficou por conta da tia Andrea e tio Alfredo.

APRENDENDO O SABOR DA ADRENALINA


Arthur é primo do João e mora no interior de São Paulo. Ele é um adorável rapaz de 19 anos e está passando alguns dias de suas férias na casa da família de João. Arthur tem muita paciência com crianças e o João está abusando disso, como acha que lhe é de direito. Outro dia, eles estavam no playground do prédio e João pediu a Arthur que o empulsionasse no balanço, e ia dando as instruções: "Mais forte! Mais forte!" Até que o embalo realmente ficou forte e João atingiu uma altura inédita em sua vida de aventuras. Assustado, mas empolgadíssimo, ele logo descobriu que a adrenalina faz bater mais forte o coração, mas tem um sabor muito especial. Então, pediu logo ao primo: "Balança de novo... com bastante pavor!"

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

SALVEM AS BALEIAS


O noticiário da tevê mostrou a coragem do pessoal do Greanpeace ao atacar um navio caçador de baleias, usando um barco três vezes menor, para impedir a atividade cruel e predadora da enorme embarcação japonesa. A matéria mostrava que apesar da caça às baleias ser proibida no Japão, eles utilizam barcos de pesquisa científica – que têm autorização de caça para fins de estudo – para disfarçar a atividade ilegal. No fim, o que sobra dos pobres bichos vai parar na mesa de comensais endinheirados, que compram os cetáceos enlatados.
Quando viu a horrenda imagem de uma baleia sendo içada para dentro do barco, deixando um rastro de sangue no mar, João já botou no rosto uma expressão que misturava indignação, pavor e reprovação. Mas, quando o repórter encerrou a matéria mostrando o produto final, vendido nas prateleiras "chiques" de lojas de alimentação nipônicas, João quis entender: "Como é que colocaram a baleia nessa lata? Espremeram ela toda?"

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

BRINCADEIRA DE GENTE GRANDE


Voltando de viagem do interior de São Paulo, depois das festas de fim de Ano, João chegava na cidade com papai, mamãe e vovó, tagarelando alegre dentro do carro. Ao passarem pelo parque de diversões "Playcenter", na Marginal Tietê, a mamãe, achando que ia agradar muito, prometeu: "Quando você crescer mais um pouco, a mamãe vai te trazer aqui." Na mesma hora, o semblante do garoto se fechou e, revoltado, ele exclamou, já ensaiando um choro: "Eu não queroooooooo." Espantada, a mamãe perguntou: "Não quer vir no parque?" Ao que ele explicou: "Não, eu não quero crescer!"

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

LUA DA NOITE E DO DIA


João fica alucinado quando vê a lua em qualquer uma de suas fases. Mas, a lua cheia exerce no garoto um fascínio especial. No final do ano, naquele céu limpo do interior, a lua cheia se exibia frondosa noite a dentro. Quando João a avistou, logo avisou, empolgadíssimo, à priminha Letícia: "Olha a luaaaaaa!" E rapidamente foi explicando: "De noite, ela está cheia. De dia, ela está vazia!"